REGIONAL OSASCO

Av. dos Autonomistas, 2455 - Centro - Osasco - SP
Fone: (11) 3683-1144
email: renascerosasco@igospel.com.br

ORAÇÃO DE DAVI



Neste Ano Apostólico de Davi, eu declaro: Será o ano da minha vida, de vitória, restauração, conquista, ano de ser ungido rei.

Senhor Jesus Cristo, hoje eu declaro, que verei com os meus olhos os inimigos derrotados, e todos os gigantes levantados por satanás para afrontar o Senhor e destruir a minha vida e a minha família, vão cair por terra, agora!! Vão cair por terra, em nome de Jesus.

Eu profetizo que este ano eu terei restauração, restituição, prosperidade. Vou alargar as estacas da minha tenda, e que este ano eu e a minha família vamos restituir a alegria, a Arca e vamos conquistar Jerusalém, em nome de Jesus.

A partir de agora eu tenho o óleo do ungido, eu sou aquele que se vale da Arca do Senhor. Viverei o melhor ano da história da minha vida, até hoje, em Nome de Jesus!

Toda malignidade, toda mentira do inferno está quebrada.

O meu corpo será saudável, todas as bênçãos espirituais encherão a minha casa, em nome de Jesus.

Eu levanto as minhas mãos, declaro e profetizo; aonde eu for Deus me dará vitórias! Eu conquistarei os lugares altos.

Este ano eu conquistarei Jerusalém pelo Poder.

A minha boca se encherá de risos, e haverá dias de festa na minha vida.

A restituição, que estava proibida, estará presente 365 dias na minha vida, na minha casa e na minha família.

Aonde eu for Deus me dará vitória.

Ano de Davi, ano de ser ungido rei do Senhor, ano de colocar todos os gigantes debaixo dos meus pés.

Em nome de Jesus.

Em nome de Jesus, Amém!!!.

As 12 Bençãos Apostolica do mês Abril/2009

Neste tempo de reconstrução, o povo de Deus será honrado com restauração, restituição e renovação, explicou o Apóstolo na ceia
Na ceia de oficiais deste mês de abril, que aconteceu no último sábado (dia 4), o Apóstolo Estevam Hernandes ministrou a Igreja sobre a Oferta de Páscoa. Ele falou sobre o texto de 2º Crônicas, capítulos 34 e 35, que mostra o que o rei Josias fez para renovar a aliança entre o povo de Israel e Deus.

“Josias se levantou para mandar restaurar o templo, tirar todas as ruínas. Ele deu uma grande oferta, não só por ele, mas pelo povo todo... Ele renova a casa do Senhor e celebra a Páscoa”, explicou o Apóstolo, acrescentando que essa oferta trouxe restauração, renovação e restituição a todos. “Aquela foi uma oferta de fé e Deus abriu as janelas dos céus para que o povo fosse abençoado”, disse ele.

O Apóstolo explicou à Igreja sobre a reconstrução do prédio da Sede, no Cambuci, cujo teto desabou em janeiro deste ano. Segundo ele, este momento de reconstrução é um tempo em que será muito abençoado. “Este é um momento estratégico de Deus. Nós não nos conformamos com as ruínas”, afirmou. Ele também disse que o povo vai viver a melhor Páscoa de sua vida. “Nós vamos viver uma Páscoa como nunca antes na história. É a marca daquele que reabriu o templo do Senhor”, acrescentou.

Conheça a seguir as 12 bênçãos ministradas pelo Apóstolo Estevam para o mês de abril:

1ª) Restauração com despojo. Tudo o que está em ruínas será restaurado e ainda trará mais do se tinha inicialmente;

2ª) Restituição. Não vai faltar nada, nem coisa grande, nem pequena. O Senhor vai restituir o que foi perdido e o que foi tirado;

3ª) Ressurreição. Em todas as áreas: de carreiras, sonhos, ministérios. Muitos sonhos “engavetados” vão ressuscitar;

4ª) Mudança de hábito, serão gerados hábitos de prosperidade. É o fim de todo hábito de miséria, pois Deus dará hábitos saudáveis;

5ª) Muitos vão receber ofertas de compra e vendas de negócios. O que vale 10, será comprado pelo povo de Deus por 5;

6ª) Bênção do escape. São todos os tipos de livramentos financeiros. Contas vão desaparecer e dívidas serão reduzidas;

7ª) Bênção das oportunidades. Muitas portas se abrirão, com empregos, passagens aéreas, compras de negócios;

8ª) Convites para viagens internacionais; prêmios de viagens em empresas. Também serão liberados convites para trabalhar em outros países;

9ª) Graça na família. Muitos serão abençoados por familiares;

10ª) Mudança de patamares. Pessoas vão subir degraus na vida financeira e profissional;

11ª) Processos e pagamentos serão liberados. Todas as coisas emperradas, serão liberadas. Leis vão mudar, haverá liberação de heranças familiares;

12ª) Anotar três milagres impossíveis, Deus vai realizar. Ele vai realizar o impossível na vida do povo.

04/04/2009 – Ceia dos Oficiais de Abril

clique aqui e Confira as fotos da Santa Ceia de oficiais do mês de abril, do ano apostólico de Davi. Temos as características espirituais de Davi em nossas vidas!






quarta-feira, 1 de abril de 2009

RENASCER ALPHAVILLE - Revista IstoÉ

Comportamento

Lutando em nome do Senhor

Evangélicos armam tatames dentro dos templos para promover competições de valetudo e jiu-jítsu: são os lutadores de Cristo

Francisco Alves Filho

ATRAÇÃO O pastor Mazola Maffei (de short vermelho), da Renascer, diz que promove as lutas para trazer mais jovens para o grupo

Mazola Maffei e Douglas Meira trocam socos no rosto e pontapés nas costelas dentro de um tatame. Ambos são musculosos, vestem apenas shorts e ostentam tatuagens chamativas. A luta acaba e, lado a lado, os dois fazem uma oração. Já passa da uma hora da madrugada e suas preces são acompanhadas por um grupo de 35 jovens que compareceram à Igreja Renascer de Alphaville, na Grande São Paulo. Eles acreditam que, com a bênção do Senhor, a luta foi vencida por Maffei, ao estrangular Meira pelas costas. Além de lutadores de vale-tudo e instrutores de jiu-jítsu, os oponentes são pastores evangélicos. Ensinam e promovem lutas nos templos com o objetivo de atrair o público jovem para a religião. “Está dando certo”, diz Maffei. “Desde que começamos, o grupo de jovens aumentou de 60 para 90 integrantes.” Essa é apenas uma das várias iniciativas de igrejas com denominações pentecostais espalhadas pelo Brasil que pretendem divulgar a mensagem religiosa usando sopapos e bordoadas como atrativo. Alguns desses grupos adotaram o nome que deixa claro seu objetivo: são os lutadores de Cristo.

Em Curitiba, a Missão Brasileira Lutadores de Cristo, ligada à Igreja do Evangelho Quadrangular, também promove lutas de vale-tudo, ou MMA, como passou a ser chamado o estilo, uma abreviatura de Mixed Martial Arts (Artes Marciais Misturadas). Com um grupo que tem o mesmo nome do paranaense, na Igreja Congregacional de Fortaleza, o instrutor Elder Pinto ensina jiu-jítsu aos jovens cearenses de baixa renda. “Junto com a luta, passo a eles a palavra do Senhor, além de noções de disciplina e respeito ao adversário”, diz Pinto. A Igreja Sara Nossa Terra, de Brasília, também reza na cartilha do jiu-jítsu. “Usamos a luta como atrativo para evangelizar”, diz o pastor Milton Schelp, 44 anos. Ele não acredita que a agressividade desse tipo de esporte seja incompatível com o ambiente da igreja. “A verdadeira violência está no coração das pessoas e não nas artes marciais.”

Os religiosos de Brasília não planejam, no entanto, introduzir o valetudo em suas aulas. “Acho que é um esporte como outro qualquer, mas compreendo quem se assusta com sua forma agressiva”, diz Schelp. A modalidade é considerada a mais violenta por reunir várias formas de artes marciais numa mesma disputa. Quando estão de pé, os lutadores costumam desferir chutes violentíssimos na altura da cintura do adversário. Uma vez no chão, um golpeia o rosto do outro com socos. “Parece feroz, mas tem uma técnica a ser seguida. São proibidos socos na parte de trás da cabeça, cabeçadas e outros golpes baixos”, diz Maffei, que tem 34 anos e é pastor há 12. Seu grupo é formado por pessoas com idades entre 9 e 34 anos, a maioria amadores que lutam com capacete de proteção. Mas há também profissionais. No começo do trabalho, no ano passado, ele recebeu críticas dentro da igreja e de alguns blogs evangélicos. “Respeito a opinião de todos, mas tenho certeza de que esse esporte pode ser um instrumento importante para atrair os jovens a ouvir a palavra do Senhor”, justifica-se.

A combinação entre vale-tudo e religião tem outras variações. Grande sucesso entre os jovens evangélicos e também de outras religiões, o rapper gospel conhecido como Pregador Luo usa esses ingredientes para fazer sua música. Adepto da Igreja Bíblica da Paz e praticante da luta – que só não tem exercitado por conta da agitada agenda de shows –, ele é autor do tema de entrada no ringue de vários campeões brasileiros da categoria, como Vítor Belfort e Rogério Minotouro. É tão aficionado que dedicou seu último CD, Música de guerra, inteiramente à exaltação do esporte.

Para ele, a pancadaria pode ser muito útil para divulgar mensagens religiosas. “Digamos que seja uma luta contundente”, afirma. “Mas, se o jovem relacionar essa prática a algo saudável e à palavra do Senhor, o efeito é positivo.” Extrair esse entendimento de suas letras não é fácil. Na música Bate pesadão, Pregador Luo criou versos como: “No mundão cruel não tem vez para os fracos” ou “Quando explodir minha ira, pode crer, não vai sobrar mais nada.” Onde estão a solidariedade e a pacificação pregadas pela religião? “As pessoas que me acompanham sabem que falo da guerra do dia a dia, da luta por uma vida mais digna. Não tenho culpa se interpretam errado e levam ao pé da letra”, justifica. Há controvérsias.

Nenhum comentário: